Pré-Inscrição

Sua empresa está preparada para a chegada da Geração Z no mercado de trabalho?

Sua empresa está preparada para a chegada da Geração Z no mercado de trabalho?

A Geração Z é a geração mais recente a chegar ao mercado de trabalho. A sua empresa está preparada para receber as pessoas que fazem parte dela? 

Você, como gestor, se sente preparado para lidar com as características tão únicas que essa geração apresenta? 

Nós te ajudamos! Confira no último post da Série Gerações! 

Faixa etária da Geração Z

A Geração Z é uma geração com jovens de até 24 anos que estão, em sua maioria, seja como estagiário ou como um profissional já com ensino superior, chegando no mundo corporativo agora. 

A geração vem ganhando cada vez mais importância, seja por ser extremamente conectada, por consumir produtos e conteúdos que ela mesmo produz, entre outros atributos, que veremos mais abaixo. 

O que difere essa geração das demais? 

O que difere a Geração Z das demais é, principalmente, o fato dos jovens dessa geração serem “nativos digitais”, tendo praticamente nascido junto com a internet e se desenvolvido junto com ela e as outras tecnologias. 

É uma geração que aprende ou busca aprender, ao menos, tudo pelo YouTube. Amam tutoriais, Do It Yourself (“faça você mesmo”, em português), entre outros. 

Segundo estudo recente do Pew Research Center, a plataforma é a mais popular entre os adolescentes dos Estados Unidos, usada por 85% deles. No Brasil, 55% das pessoas entre 14 e 18 anos também usam o YouTube diariamente. 

Mas não apenas isso: de acordo com dados do próprio YouTube/Google, a rede também é bastante utilizada para aliviar o estresse e aprofundar conexões.  

Outras preferências da Geração Z são os games, streamings de música e séries e, o principal, o ecossistema que possibilita o consumo disso tudo: os smartphones.

Geração Z no mercado de trabalho: como entender e se preparar

Por mais que os millennials e os jovens da Geração Z sofram críticas contínuas quanto ao seu comprometimento, esta é uma geração que costuma ser insegura quanto à falta de uma carreira e, no geral, bastante preocupada com o futuro.

Além disso, quem faz parte dela também costuma ser mais engajada e comprometida com causas como diversidade, racismo, meio ambiente, entre outros.  

São pessoas com posições fortes na hora de defender o que acreditam e o bom gestor deve saber focar nisso na hora de lidar com essa geração. 

Como um bom técnico de futebol, por exemplo, a dica aqui é saber trabalhar as melhores competências de cada jogador do seu time, organizando a tática e as posições de cada um para alcançar sempre o melhor resultado. 

Regras gerais para todas as gerações

Com o fim da Série Gerações, em regras gerais, vale também, é claro, ter empatia não apenas pela Geração Z, como também por todas as gerações que trabalham na sua empresa, entendendo os potenciais, mas também as limitações de cada uma. 

Outra orientação também é válida para todos os casos que citamos ao longo desses quatro posts: entender que as características de cada geração não definem todas as pessoas. 

“As gerações seguem algumas características em comum, mas é importante não rotular. Ninguém é igual a ninguém”, conclui a professora do curso de curta duração da MMurad/FGV, Gestão de Pessoas e Desenvolvimento da Inteligência Emocional, Denize Dutra. 

Continue no assunto: